Fraudes veiculares: como combater com inteligência de dados?

Por Infocar Tecnologia • 19 de maio de 2023

No Brasil, diversos segmentos sofrem com constantes fraudes, e isso não é diferente no mercado veicular. Seja adulteração de quilometragem, veículos com chassis clonados, falsificação de documentos, apropriação indébita, entre outras possibilidades, as fraudes veiculares prejudicam as empresas financeiramente.  

Neste ano, a Operação Fiat Lux, feita pela Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal, identificou, em diversos estados do país, cerca de 10 mil adulterações em veículos nos dois primeiros meses. Entre estes, 3.300 fraudes eram em viaturas do Exército Brasileiro. 

Utilizar a inteligência de dados tornou-se essencial para combater esse problema crescente. Entenda, neste artigo, o cenário atual das fraudes e como usar dados para combatê-las.  

Placa e chassi clonados: como identificar? 

De acordo com o artigo 311 do Código Penal, “adulterar ou remarcar número de chassi ou qualquer identificados de veículo automotor, de seu componente ou equipamento” é crime e pode resultar na pena de reclusão de 3 a 6 anos, além de multa.  

O Contran, órgão que dispõe o sistema de Placas de Identificação de Veículos (PIV), considera os veículos clonados como os que usam a mesma combinação alfanumérica da PIV em diferentes automóveis. Além disso, podem ou não ter as mesmas características, como marca, modelo, entre outras características e a alteração ou não do Número de Identificação Veicular (VIN) presente no chassi.   

Ao adotar o padrão Mercosul, era esperado que as clonagens diminuíssem. Porém, segundo o Detran-SP, analisando apenas a capital de São Paulo, o número não caiu como esperado, mesmo com a utilização de novos recursos como marca d’água e QR Code para rastreabilidade.  

Desse modo, para identificar se o veículo foi clonado, é necessário verificar dados, por exemplo, do modelo, ano, versão e cor. Ainda, é possível ver se há diferenças em débitos e restrições, Renavam, entre outros aspectos.  

Fraudes financeiras e fiscais no mercado veicular 

Existem, também, fraudes fiscais e financeiras. Elas são complexas e costumam envolver um grande número de pessoas envolvidas, para, por exemplo, criar veículos que, na verdade, são fictícios. Isso acontece quando eles aparecem somente nos sistemas de trânsito e são utilizados para a utilização em golpes em consórcios ou financiamentos, configurando crime contra o Sistema Financeiro Nacional.   

Na Operação Fiat Lux, além de descobrirem a inexistência de alguns veículos, também identificaram a mudança de estado. Veículos que eram da Zona Franca de Manaus foram emplacados em São Paulo. Posteriormente eram revendidos com documentação falsa.   

As empresas devem estar atentas para evitar prejuízos financeiros, uma vez que que os 300 veículos investigados causaram um prejuízo total de R$ 500 milhões.

Golpe do laudo: alteração da quilometragem 

Entre as fraudes veiculares, há o “golpe do laudo”, que consiste em adulterar a quilometragem indicada no hodômetro para tornar o automóvel mais atrativo para operações comerciais e são aplicados em seminovos e usados. Antigamente, fazer essa mudança era mais fácil, pois o medidor era analógico, hoje, é digital, dificultando o processo, mas não o impossibilitando.   

Saber a quilometragem verdadeira é essencial para a precificação correta do veículo e serviços, além de garantir mais segurança, permitindo uma noção melhor do nível de desgaste e necessidade de manutenção. Conhecer o histórico do veículo é uma das maneiras de saber se a quilometragem do veículo foi alterada. 

Além disso, buscar vistorias ágeis, tecnológicas e seguras também é um diferencial. Com o Infovist, a vistoria veicular digital da Infocar, por exemplo, é possível fazer todo o processo sem um vistoriador in loco e ainda ter acesso a uma mesa de análise com especialistas que poderão constatar se as informações são reais, por meio de um relatório completo. Sua empresa garante tranquilidade na avaliação de veículos e facilidade ao seu cliente.

Apropriações indébitas de veículos em locadoras 

O aluguel de veículos está em alta, de acordo com a Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (ABLA). No primeiro trimestre de 2023, por exemplo, a frota total de veículos alcançou 1.173.357 unidades. Este aumento ocorreu por fatores como a alta nos preços dos carros, busca para trabalhar como motoristas de aplicativos e preferência para fazer viagens.   

No entanto, há muitos casos nos quais os condutores não fazem a devolução dos veículos locados após o prazo acordado na contratação, usando-os para venda do veículo ou de peças, trocas ou outros objetivos, mesmo com o artigo 168 do Código Penal definindo a apropriação indébita como crime. Ou seja, essa é mais uma das fraudes veiculares que estão preocupando e prejudicando o mercado. 

Um dos desafios para as locadoras é conseguir localizar os veículos. Para resolver esse problema, contar com a análise de dados é um diferencial. Com a Infocar, por exemplo, é possível ver o histórico para saber as movimentações que foram feitas e identificar o UF, se há mais de uma placa para um mesmo chassi, se houve mudanças de características, entre outras informações que podem ser úteis para identificar o automóvel verdadeiro.   

Inteligência de dados contra as fraudes veiculares

Como visto, as fraudes se atualizam com o decorrer do tempo, inovando junto com as tecnologias. Dessa forma, o uso de inteligência de dados se tornou uma boa maneira de fazer a detecção e o combate contra esses problemas.   

A Infocar conta com diversas soluções que ajudam o seu negócio a ter mais segurança:  

  • Codificador FIPE: Produto exclusivo da Infocar, utilizado para verificar se houve mudanças na placa de origem do veículo. É possível, também, ter uma assertividade 1:1 do modelo do veículo de acordo com a tabela FIPE, por meio de uma base de dados enriquecida diariamente com informações de todo o Brasil. Destaca-se, inclusive, a taxa de precisão superior a 80%. 
  • Débitos e restrições: Possibilita a identificação de como está atualmente o vínculo de placa, chassi e Renavam na base do estado, identificando, também, UF/município. Indica quais são os débitos e as restrições pendentes. 

Com a Infocar também é possível consultar todo o histórico do veículo e estabelecer uma linha do tempo das alterações. O seu negócio pode contar também com o auxílio da ferramenta de autocomplete, preenche automaticamente todas as informações do veículo, basta digitar a placa. Entre em contato e descubra como o nosso portfólio de produtos pode auxiliar o seu negócio no combate às fraudes do mercado veicular.   

 

 

 

Posts relacionados